Aerossol

O aerossol, palavra usada pela maioria das pessoas para designar  nebulizador de aerossol, têm, em termos simplistas, um problema de imagem. O clamor que enfrentam é o seguinte: são nocivos ao ambiente; os CFCs que contêm destroem a camada de ozono, e devemos evitá-los a todo o custo. É verdade? Era no passado; não hoje em dia.

Redução da produção de CFCs

Durante anos, os nebulizadores usaram clorofluorcarbonetos, ou CFCs, como propulsores: mantendo-se no estado líquido no depósito pressurizado, os CFCs vaporizam-se instantaneamente ao saírem pelo fino orificio, deixando os produtos não-voláteis neles dissolvidos formarem a fina névoa a que se chama aerossol. Na década de 70, descobriu-se que os CFCs prejudicavam a camada de ozono, e em 1978 os EUA proibiram a sua utilização em produtos comerciais; o Canadá, a Noruega e a Suécia depressa lhes seguiram o exemplo.

Em 1996, a produção de CFCs quase tinha acabado. Hoje em dia, utilizam-se quase exclusivamente em certas máquinas (como frigoríficos e aparelhos de ar condicionado, cujo conteúdo de CFCs deve ser reciclado) e em medicamentos (inaladores) onde o seu uso é considerado aceitável.

Os nebulizadores atuais são seguros?

Mesmo a nova geração de produtos para formação de aerossóis pode apresentar perigos para a saúde. Muitos deles contêm compostos orgânicos voláteis (COVs), grupo de propulsores e solventes que, além de altamente inflamáveis, aumentam a poluição da baixa atmosfera. Os COVs mais comuns são misturas de butano e propano. Usam-se não só em nebulizadores de aerossol, mas também em muitos produtos de secagem rápida, incluindo perfumes e geles para o cabelo.

Os riscos da inalação dos aerossóis

O maior perigo da utilização de um nebulizador de aerossol é a inalação do produto químico. As minúsculas partículas do aerossol podem penetrar profundamente nos pulmões e são facilmente absorvidas pela corrente sanguínea, podendo causar inúmeros problemas de saúde.

Alguns adolescentes inalam vapores de latas de aerossol em busca de uma droga barata e fácil de obter. A prática priva de oxigénio os pulmões e o cérebro, podendo causar lesões cerebrais ou a morte. Os familiares e amigos devem estar atentos aos sinais do abuso de aerossóis : alterações nos padrões de apetite ou sono, uma erupção ou bolhas em redor da boca, variações de humor e hálito a químicos.

Substitutos mais seguros

Ao comprar produtos de limpeza domésticos, sprays para o cabelo e repelentes de insectos, prefira nebulizadores de bomba aos aerossóis. Embora aqueles possam conter COVs, não contêm propulsores, e as gotículas que emitem são maiores, portanto menos susceptíveis de inalação. Para evitar os COVs, use sprays com propulsores de dióxido de carbono ou ar comprimido e evite os produtos de secagem rápida. Finalmente, se tiver mesmo de usar um spray em aerossol, leia e respeite as instruções.